Assinatura RSS

Arquivo da categoria: Poesia Mundana

Estrelas que caem

Publicado em

Ontem à noite eu vi uma estrela cadente.

Achei tão lindo que liguei pra minha mãe e mandei mensagens pras minhas amigas. Ninguém ligou muito, eu sou uma garotinha mesmo.

Entrei na internet pra saber se eu tinha ficado doida ou se tava imaginando coisa e descobri que não, eu sou uma garotinha sortuda mesmo. Tinha acabado de presenciar um fenômeno de chuva de meteoros.

E o mais incrível era: o fenômeno ia acontecer por toda a noite.

Claro que eu não fiquei a noite toda olhando pro céu, pra ver se tinha estrela caindo dele. Mas dei um sorrisinho, sozinha, pra mim mesma.

Fiz um pedido, claro. Nunca vi estrela caindo na vida, até parece que eu ia desperdiçar esse momento.

Anúncios

Nem sobre mim eu sei de tudo

Publicado em
Do dia 3 de Julho de 2014
Você sabe que sente aquela dorzinha de barriga quando a pessoa que você gosta tá chegando perto. Você sabe do que eu to falando. Você sabe também que sente o suor frio escorrendo na nuca quando você quebrou alguma coisa e a pessoa que não podia saber tá perto e ainda não viu. Quando você tá esperando pra entrar numa entrevista de emprego e alguém que trabalha na empresa fica entrando e saindo da sala. Toda vez que isso acontece você acha que ele vai te chamar pra começar.

Leia o resto deste post

Não sou poeta

Publicado em

Inspiração que não existe,

Respiração que insiste.

Tenta a volta pro meu rumo, em vão.

Faz das minhas rimas, coração.

 

Do dia 3 de Junho de 2014

Réplica

Publicado em

Original do dia 29 de Maio de 2014

Sabe quando você pensa que tá fazendo uma coisa nova? Cara, tive uma idéia genial!
Você sabe que sua idéia pode ser até genial, mas no fundo ela não é sua. Tudo que existe é réplica de um pensamento anterior. (NOTA – Relendo essa última frase, me achei muito sabereta.) Leia o resto deste post

Sobre o seu borogodó de bolso

Publicado em

Original do dia 20 de Maio de 2014

 

Sabe aquela coisa

Que é perto, mas tá nublado, não consigo ver.

Que é malandro, mas tá lento, é proposital.
Que até que é bom, mas tá puxado, não sei se aguento muito tempo.
Que é um saco, mas OK, é adorável.
Trocar de adjetivos como quem troca de roupa. Faz parte da manha borogodesca.

quero-quero

Publicado em

Original do dia 16 de Maio de 2014

Há um ano e meio atrás eu tinha 20 anos. Quero ter de novo.

Hoje eu acordei feliz e com vontade de escrever mais. Mais do que escrevo hoje, menos do que um dia vou escrever. Mais do que escrevi hoje de manhã, quero escrever agora. Leia o resto deste post